Sábado, 17 de Dezembro de 2011
Rota do Xisto (PR9) - Canelas - Arouca

 

Partida e Chegada – Igreja Matriz de Canelas

Extensão – 15,5 Km

Duração – 4h 30min (com paragens)

Dificuldade – Moderada

Carta Topográfica – 145

Ficheiro GPX – olhar aqui

 


 

 

Para plataformas móveis olhar fotos aqui

 

 

Descrição

 

Trata-se de um percurso em circuito de pequena rota, homologado (ver folheto), marcado nos dois sentidos.

Com início junto à Igreja Matriz de Canelas, o percurso segue por ruelas até chegar a Aldeia de Cima onde se inicia a subida até ao Centro de Interpretação Geológica de Canelas (CIGC). Aqui podem ser observados os maiores fósseis de trilobites do mundo. A subida realiza-se por caminhos de terra, alcatrão e pé posto não apresentando dificuldades de maior.

Junto ao CIGC o percurso atravessa a EN326-1 e segue por caminhos de terra. Cerca de 1km à frente encontra-se o ponto mais elevado do percurso, aproximadamente 581m. Deste ponto é possível ter uma perspectiva sobre Canelas e o vale por onde corre o Rio Paiva nomeadamente o seu trecho final com a Serra de Montemuro como pano de fundo.

Até chegar às minas o caminho não apresenta qualquer dificuldade. Pelo meio passa-se pela Aldeia de Vilarinho e rapidamente se chega ao olhar sublime do percurso.

A vista sobre a Cascata das Aguieiras merece uma paragem para retemperar forças. Do miradouro ao rio são quase 300m de desnível quase na vertical. Este olhar sobre a cascata e o rio correndo selvagem, com a vila de Alvarenga no topo e a Serra de Montemuro ao fundo, ganha ainda mais espectacularidade quanto maior o caudal de água.

Continuando o caminho passa-se pela entrada de duas minas onde no início do séc. XX se explorava o minério de Volfrâmio.

Após a segunda mina o caminho até aqui sem grande dificuldade e sempre por eucaliptais, segue encosta abaixo até à praia fluvial do Vau por carreiros e quelhos antigos embrenhando-se num bosque de folhosas onde predominam os carvalhos. Este carreiro requer alguma destreza de movimentos quando o piso se encontra com alguma humidade.

Chegando ao Vau à que contemplar a paisagem, o rio e a cascata do Ribeiro da Estreitinha que aí se entrega ao Paiva.

Saindo do Vau o percurso prossegue paralelo ao rio até aos moinhos, cerca de 1km, por um carreiro que se torna muito perigoso se o mesmo estiver muito húmido, mas vale a pena o esforço se realizado na altura em que os medronheiros estão com o fruto maduro (final do Outono). Com o chão sarapintado de pontos vermelhos, não apanhar alguns e leva-los à boca torna-se tarefa difícil. Não receie, apanhe os mais maduros e saboreie a sua doçura.

Chegando aos moinhos, até ao final do percurso apenas há a dificuldade da subida até à estrada em empedrado, se as pernas já estiverem cansadas é preciso parar para ganhar fôlego.

Da estrada em empedrado até Canelas é um pulo, entra-se num caminho que ladeia campos de cultivo, passa-se por uma ETAR, um lavadouro público, mais a frente a escadaria da Barroca que nos conduz a uma viela com pouco mais de 50cm de largura e por fim a Igreja Matriz de Canelas.

 

Olhares Positivos 

- vista sobre Canelas e vale do Rio Paiva;

- vista sobre a Cascata das Aguieiras;

- riqueza geológica e paisagística.

 

Olhares Negativos (menos positivos) 

- Centro de Interpretação Geológica de Canelas visitável apenas por marcação;

 

Observações

- quando o caudal do rio é muito, a passagem pela praia do Vau poderá ficar em causa. Quando este percurso foi realizado o caudal do rio éra normal e o nível da água estava a menos de um palmo de submergir a praia;

- o trecho paralelo ao rio após a praia do vau é particularmente perigoso se o piso estiver muito húmido. Pode optar por seguir pela estrada em empedrado que sai da praia e mais a frente encontra-se de novo com o percurso;

- se chegando ao Vau sentir as pernas cansadas pode seguir directamente pela estrada em empedrado e retomar o percurso mais adiante, será seguramente menos exigente fisicamente. 



publicado por olharessublimes às 23:59
link do post | comentar | favorito

com o apoio de
olharessublimes@gmail.com
olhar no
  
olhares anteriores

Gerês (Portela do Homem -...

Gerês (Pitões das Júnias ...

Trilho Castrejo (PR3) - C...

Gerês (Portela do Homem –...

Estrela (Loriga - Torre -...

Santo Tirso (Mosteiro de ...

Gerês (Trilho dos Prados)...

Gerês (Xertelo - Castanhe...

Caminhos de Montemuro (PR...

Serra da Arada (Póvoa das...

Maciço da Freita (Gestoso...

Rota de Manhouce (PR1) – ...

Varandas de Felgueira (PR...

Na Vereda do Pastor (PR3)...

Caminhos do Sol Nascente ...

Covelo de Paivó - Regoufe...

Dunas S. Jacinto (variant...

Arrifana (Santa Maria da ...

Cercanias da Freita (PR4)...

Rota dos Túneis: La Frege...

Linha do Tua: Fiolhal - B...

Caminhos do Vale do Urtig...

Caminhada Exótica (PR16) ...

Rota das Tormentas (PR5) ...

Viagem à Pré-História (PR...

Rota do Xisto (PR9) - Can...

procurar olhares
 
tags

2011

2012

2013

2014

2015

2016

2017

abrótegas

alvarenga

arouca

arrifana

aveiro

barca d'alva

canelas

cantarelo

castro laboreiro

cidadelhe

citânia de sanfins

conho

costa da sabrosa

covelo de paivô

côvo

drave

dunas s. jacinto

encosta do sol

felgueira

fonte fria

gestoso

gestozinho

gourim

janarde

la fregeneda

lamalonga

linha do tua

lomba do pau

loriga

malfeitoso

manhouce

meitriz

minas dos carris

mizarela

moldes

monte padrão

monte pilar

mosteiro nossa senhora assunção

mourô

penha dos abutres

pico da nevosa

pico do sobreiro

pitões das júnias

portal do inferno

portela do homem

portela do leonte

póvoa das leiras

prados caveiros

prados da messe

quedas de fervença

regoufe

rossas

rota dos túneis

salgueiro

santa maria do monte

santo tirso

são pedro do sul

serra da arada

serra da estrela

serra da freita

serra de montemuro

serra do gerês

silveiras

torre

torrinheira

vale de cambra

vidoal

vidoeiro

xertelo

todas as tags

número olhares
aviso
A reprodução dos textos, fotografias, vídeos ou outros elementos deste blogue é expressamente proibida sem autorização escrita do autor. Para qualquer autorização por favor contacte o autor. A cópia ou reprodução não autorizada é punida por lei.