Sábado, 28 de Julho de 2012
Cercanias da Freita (PR4) - Santa Maria do Monte - Arouca


Partida e Chegada – Capela de Santa Maria do Monte

Extensão – 10,2 Km

Duração – 3h

DificuldadeModerado

Carta Topográfica – 155

Ficheiro GPX – olhar aqui

  

 



Para plataformas móveis olhar fotos aqui.

 

 

Descrição

 

Objectivo, percorrer o PR4 – Cercanias da Freita.

O PR4 – Cercanias da Freita (ver folheto) é um percurso circular de pequena rota, homologado e marcado nos dois sentidos.

Com início junto à capela de Santa Maria do Monte o percurso segue em direcção ao lugar de Adafães por uma rua em empedrado passando depois a um caminho de terra batida.

À entrada de Adafães irá encontrar uma bifurcação com umas alminhas peculiares. Neste local a inexistência de marcas tornam duvidoso o caminho a seguir, mas penso que a melhor opção será seguir pela direita. O caminho aqui descrito seguiu pela esquerda e junto à primeira casa vira à direita, com a casa pela direita, para seguir um caminho de acesso a um campo. Contornando o limite do campo pela direita, cerca de 100m à frente avista-se um caminho no meio do mato, siga por aí. Percorrido cerca de 10min neste caminho, este desemboca numa curva fechada onde já se encontram marcas a definir o percurso e foi aí que tive a noção de que junto às alminhas peculiares se deve seguir pela direita.

Estando no caminho correcto é só seguir as marcas até à aldeia de Ameixeira. O caminho em terra batida, passará a lajeado e empedrado pouco antes de entrar na aldeia.

Na aldeia de Ameixeira repare nas casas de xisto e em algumas soluções construtivas em que se recorria a traves de madeira e pilares de pedra para suportar os andares superiores. Irá encontrar uma enorme casa em granito e contorna-a pela direita numa rua ascendente até sair da aldeia e encontrar uma estrada de alcatrão.

Confesso que não me apercebi se a aldeia é habitada, ao percorre-la ficou a sensação de que atravessava uma aldeia abandona.

Chegando à estrada de alcatrão segue pela esquerda e logo a seguir pela direita por uma caminho empedrado, por debaixo de uma ramada, para pouco depois continuar por um caminho que segue pelo mato. Este caminho irá leva-lo até um estradão onde o deve seguir pela direita.

Desde a Ameixeira que o percurso tem sido constantemente ascendente e prepare-se porque irá continuar. Foi numa pausa para ganhar folego que, ouvindo uns sons nada habituais vindos de uma árvore, reparei que por ali andava um esquilo, tive sorte pois deixou-se fotografar.

Continuando pelo estradão irá encontrar uma bifurcação, no meio de um bosque denso, onde deverá tomar o caminho da direita em direcção a Viveiros da Granja. Prepare-se pois a subida irá endurecer especialmente após ultrapassar uma linha de água que desce a encosta norte da Freita. Pelo meio, olhando por entre o arvoredo, poderá avistar as eólicas no topo da serra. Ultrapassada a linha de água o caminho sobe a encosta e zigue-zague até encontrar um estradão florestal a meio da encosta.

Chegado a esse ponto poderá avistar o olhar sublime do percurso. A panorâmica para norte é absolutamente fantástica, em dias de céu limpo é possível avistar a serra de Montemuro e a área metropolitana do Porto, destacando-se a antena da RTP no Monte da Virgem em Vila Nova de Gaia. Não tive a sorte de ter céu limpo mas por ter realizado o percurso numa manhã de nevoeiro tive o prazer de chegado a este local e observar o mesmo a dissipar-se como que formando um manto branco furado pelos píncaros de Montemuro.

Por isto chego à conclusão que por mais que se repita um determinado percurso, se realizado em diferentes alturas do ano e sob diferentes condições climatéricas os olhares serão certamente diferentes.

Retomando o percurso, este segue agora pelo estradão, à esquerda, seguindo a curva de nível até aos Viveiros da Granja local onde encontrará um parque de merendas e uma casa florestal infelizmente deixada ao abandono como tantas outras. Neste local faça uma pausa e aventure-se por entre pinheiros e cedros onde poderá observar umas formações rochosas arredondadas designadas por “bolas quartzodioríticas” (ver geossítio 14).

De volta ao caminho, em direcção à estrada de alcatrão, segue pela esquerda agora em descida, para virar na primeira à direita em direcção a Chão de Espinho. Quando encontrar uma paragem de autocarro vira à esquerda, cerca de 300m à frente novamente pela esquerda e logo de seguida na primeira à direita, em direcção aos campos de cultivo do local da Granja.

A estrada de alcatrão termina e entra num caminho de terra que atravessa uma zona de mato, em que predomina o pinheiro bravo, e desemboca numa estrada de alcatrão.

Segue pela estrada de alcatrão à direita e logo de seguida entra num carreiro à esquerda que passava despercebido, pela quantidade de vegetação que o ocultava, não fosse a indicação existente num marco de madeira.

Este carreiro irá leva-lo até à povoação de Povos por um bosque de extrema beleza em que predominam os castanheiros e carvalhos. Será acompanhado permanentemente pelo som do cantar de várias espécies de aves.

Chegando a Povos, junto a uma estrada em empedrado segue pela esquerda e 50m à frente, numa bifurcação entra no estradão da esquerda em direcção a Forcada (neste local não existe indicação do caminho a seguir).

Percorrendo o estradão por cerca de 750m abandona-o e entra num carreiro florestal à direita (atenção que o mesmo passa despercebido pela falta de indicação). Este carreiro irá levá-lo até a zona de campos de cultivo da aldeia de Forcada. Chegando a um estradão, junto a uma espécie de celeiro de paredes de pedra e tábuas e telhado de lousa, siga pela esquerda.

Entrando no povoado, atravessa a estrada de alcatrão junto a uma casa reabilitada de paredes de pedra, e segue um caminho em empedrado para, bem no centro da aldeia, virar à esquerda junto a uma casa com a varanda cheia de vasos.

Irá entrar num caminho lajeado, passar por baixo de uma ramada e passar ao lado de uma presa de água para entrar novamente num caminho florestal que o conduzirá à periferia do povoado de Santa Maria do Monte.

Entrará aí numa rua em empedrado e junto a umas alminhas segue pela direita até à estrada principal em alcatrão. Junto desta segue à esquerda para virar à direita poucos metros à frente, novamente por uma rua em empedrado.

Percorre esta rua cerca de 100m e vira à direita por outra rua em empedrado que o leva novamente até à estrada principal em alcatrão. Atravesse esta estrada e entrando novamente numa rua em empedrado, 150m à frente estará no centro de Santa Maria do Monte no local onde iniciou o percurso.

 

 Olhares Positivos

- riqueza arbórea presente em todo o percurso destacando-se o pinheiro, eucalipto, carvalho, castanheiro, amieiro e choupo;

- quotidiano das aldeias;

- riqueza paisagística.

 

Olhares Negativos (menos positivos)

- vários locais com falta de marcação que tornam duvidosa a direcção a tomar.

 

Observações

- o percurso não apresenta qualquer tipo de dificuldade à excepção do último km da subida para Viveiros da Granja;

- 80% do percurso é realizado à sombra pelo que é de aconselhar a sua realização mesmo em dias de forte calor;

- aconselha-se a realização do percurso em diferentes estações do ano já que a existência de várias espécies de árvores de folha caduca originará certamente olhares diferentes.



publicado por olharessublimes às 10:13
link do post | comentar | favorito

com o apoio de
olharessublimes@gmail.com
olhar no
  
olhares anteriores

Cercanias da Freita (PR4)...

procurar olhares
 
tags

2011

2012

2013

2014

2015

2016

2017

abrótegas

alvarenga

arouca

arrifana

aveiro

barca d'alva

canelas

cantarelo

castro laboreiro

cidadelhe

citânia de sanfins

conho

costa da sabrosa

covelo de paivô

côvo

drave

dunas s. jacinto

encosta do sol

felgueira

fonte fria

gestoso

gestozinho

gourim

janarde

la fregeneda

lamalonga

linha do tua

lomba do pau

loriga

malfeitoso

manhouce

meitriz

minas dos carris

mizarela

moldes

monte padrão

monte pilar

mosteiro nossa senhora assunção

mourô

penha dos abutres

pico da nevosa

pico do sobreiro

pitões das júnias

portal do inferno

portela do homem

portela do leonte

póvoa das leiras

prados caveiros

prados da messe

quedas de fervença

regoufe

rossas

rota dos túneis

salgueiro

santa maria do monte

santo tirso

são pedro do sul

serra da arada

serra da estrela

serra da freita

serra de montemuro

serra do gerês

silveiras

torre

torrinheira

vale de cambra

vidoal

vidoeiro

xertelo

todas as tags

número olhares
aviso
A reprodução dos textos, fotografias, vídeos ou outros elementos deste blogue é expressamente proibida sem autorização escrita do autor. Para qualquer autorização por favor contacte o autor. A cópia ou reprodução não autorizada é punida por lei.